Geração Y ainda precisa ser compreendida pelas empresas

Um estudo preparado pela Oxford Economics reforçou o conceito de que as empresas e companhias da atualidade estão se desentendendo com a geração Y. Por que será que isso está acontecendo?

De acordo com o estudo, os contratantes estão com muitas dúvidas para saber lidar com a geração Y, sendo a principal dificuldade a de garantir a diversificação na frente de trabalho. Para chegar a um resultado coerente, a Oxford Economics e a SAP escutaram 5,4 mil funcionários e gerentes de empresas espalhadas por 27 países. O Brasil estava na lista dos territórios pesquisados.

Nos dados, os executivos aceitaram que a geração Y é extremamente importante para o trabalho geral das empresas e para a composição de planos e estratégias, porém um pouco menos de um terço deles admitiu que não oferece a atenção necessária para aprender a lidar com este grupo de pessoas.

A falta desta relação mais aprimorada, de acordo com a pesquisa, ocorre porque os jovens não são devidamente aceitos, conhecidos e compreendidos pelas empresas. Um dado interessante observado no estudo é que os jovens da geração y têm preocupações, interesses e objetivos muito aproximados com as das gerações mais antigas.

Desconsiderando a idade, em uma comparação, os salários e bônus financeiros, integrantes de uma compensação econômica, podem ser vistos como um fator extremamente importante na relação de trabalho para dois terços dos entrevistados, sendo que 68% são da geração Y e 64% das gerações anteriores. O resultado numérico é muito próximo.

Mais do que achar que a remuneração justa é um fator importante na relação de trabalho, 41% da geração y e 38% da geração antiga revelaram que um salário ainda maior faria com que o empenho no trabalho fosse melhor.

Um dado interessante: ao contrário do senso comum, a geração y não pretende sair do emprego nos primeiros 6 meses, como antes acontecia com mais frequência.

Tecnologia e treinamentos empresariais

O estudo também apontou a grande necessidade de uma companhia investir em treinamentos e suporte para as equipes de todas as gerações. Menos de 50% dos trabalhadores acompanhados no estudo garantiram que recebem os treinamentos necessários para tornar o trabalho mais produtivo.

Os executivos acompanhados no estudo atestam o fato: apenas 23% garantiram que oferecem aos contratados o treinamento necessário para a equipe. Neste sentido, somente 34% revelaram que se esforçam em medidas que construam equipes de trabalho fortes o suficiente para atingir o plano de negócios

Liderança

O levantamento deixa claro que deve haver adaptação dos líderes empresariais às mudanças e a entrada da geração Y nas companhias. 34% dos executivos revelaram que os líderes das empresas estão treinados para a divesidade e somente 44% garantiram que os chefes estão preparados para fazer a empresa alcançar o máximo dos resultados.

Mudança nos quadros empresariais

A pesquisa também revelou que o modelo de trabalho empresarial deve ser alterado. 83% dos executivos acompanhados no trabalho revelaram que pretendem terceirizar serviços e investir em trabalhadores temporários.

 

Foto: dailysurge

Data: 22/09/2014

Voltar

Fale conosco

Formas de Pagamento

Criado por Sites & Cia

2021 | Click Textos - Agência de Conteúdos